Aviso / Notice

Este blog se encontra desatualizado, inativo e arquivado como conteúdo estático. Eu continuo a eventualmente postar em to-post.it/henriquev. Um serviço simples de blog para usuários de Twitter criado por mim. Todo o conteúdo deste blog continuará existente no mesmo endereço de antes.

This is blog is out-dated, inactive and archived. I continue to post eventually on to-post.it/henriquev. Using a simple blogging service for Twitter users that I created.

Estou também em / find me also on:

Archive for the 'Português' Category



Funai quer vetar filme sobre infanticídio indígena

Por Leonel Rocha,
do Correio Braziliense

Brasília - A Fundação Nacional do Índio (Funai) estuda qual instrumento jurídico vai utilizar para impedir, na Justiça, a divulgação do filme Hakani pela Internet e emissoras de televisão brasileiras. Com 36 munutos de duração, o misto de documentário e drama conta a história de duas crianças indígenas enterradas vivas por terem nascido com deficiências físicas e faz parte da campanha contra o infanticídio nas tribos da Amazônia. O ritual ainda é praticado por várias tribos, inclusive os Suruwaha, etinia que vive às margens do Rio Purus, no Amazonas, onde a história do filme se passa. Era nessa aldeia que vivia a menina Hakani. “A Funai está tomando providências para que o vídeo seja retirado do site YouTube, pois entende que o conteúdo denigre a imagem das mais de 220 etnias que vivem no Brasil”, diz a nota da instituição.
Hakani é o nome da menina que nasceu com hipertiroidismo e, por não ter o desenvolvimento físico esperado pela tribo, foi enterrada viva, mas salva pelo irmão mais velho. Depois de abandonada pela família, a criança foi adotada pelo casal de lingüistas Marcia e Edson Suzuki. A menina, atualmente com 13 anos, vive e estuda em Brasília. Com versões em português e em inglês, o filme relata com pequenas adaptações, a história de Hakani e pode ser assistido no site www.hakani.org, criado para ser a principal peça da campanha contra o infanticídio entre indígenas. A história da pequena índia foi revelada pelo Correio/Diário no ano passado.

A Funai considerou “escusa” a origem do filme e teme a generalização inadequada de uma tradição indígena. A fundação admite acionar a Polícia Federal para investigar a legalidade da realização do trabalho. Encarregada pela tutela dos indígenas brasileiros, a direção da entidade entende que a questão abordada pelo vídeo precisa ser tratada em uma ampla discussão sobre os direitos humanos universais e a relatividade cultural deles, envolvendo governo, organizações indígenas e a sociedade em geral.
A Funai conhece a prática, mas garante que não é comum a todas as etinias e, mesmo entre as que ainda a adotam, já há alternativas de adoção das crianças doentes por outras famílias para evitar as mortes.
Com cenas consideradas exageradamente fortes e até criminosas por antropólogos, o filme foi produzido pela organização não-governamental (ONG) Atini — palavra que significa voz pela vida — e financiado pela instituição evangélica Jovens com um ideal (Jocum), que tem sede nos Estados Unidos e vários escritórios no Brasil. A instituição se especializou na evangelização dos índios e no resgate de crianças marcadas para morrer nas tribos por serem portadores de necessidades especiais.

Mercio vê crime na encenação
Brasília — O ex-presidente da Funai Mercio Pereira Gomes pediu a interferência da PF, do Ministério da Justiça e até do Supremo Tribunal Federal para impedir a divulgação do filme. “A encenação é criminosa. Os autores têm que ser processados e os demais responsáveis punidos rigorosamente”, protestou Mercio.

Além das cenas na suposta aldeia Suruwaba, o documentário mostra depoimentos do juiz Renato Mimessi, de Rondônia, defendendo a campanha. Também aparece nas cenas o deputado Francisco Praciano(PT-AM) a declarar, durante sessão da Comissão de Direitas Humanos, que a Constituição brasileira não foi feita para índios.
Com produção digna dos grandes filmes de ficção e dirigido pelo cineasta norte-americano David Cunningham (A última das guerras), o documentário informa que se trata de uma história verídica”. Foi rodado em janeiro em uma fazenda da Jocum, nos arredores de Porto Velho (RO), com a participação de índios de várias etinias que vivem fora das aldeias e trabalharam como atores. Para filmar o enterro das crianças ainda vivas, a produção utilizou um imenso bolo de chocolate para simular a cova. Com roteiro de Kevin Miller, e narração em português da atriz Irene Ravache, o trabalho teve co-produção do brasileiro Enock Freitas e os cineastas aceitaram trabalhar no filme como voluntários.
Os índios que atuaram no filme receberam cachês, mesmo sendo amadores. “O direito à vida é mais importante que o direito de preservar as tradições. Todas as culturas evoluem e precisamos superar essa prática terrível”, comentou o índio Eli Ticuna. No final do filme, a menina aparece contando como está a vida dela hoje, já tratada da doença.

Fonte: Diário de Pernambuco, Sábado, 5 de Julho de 2008. n. 187

Relatividade cultural é o cacete. Em primeiro lugar, ética deve estar acima de tudo e não existe merda de ética relativa de acordo com a cultura, ética é algo absoluto, que vale para todos. O que existe é uma diferente valorização da ética por diferentes culturas tanto em termos qualitativos quanto quantitativos, mas sem interferir no que a propriedade é.

Os lerdos do trânsito e as medidas estatais

Hoje li em um blog uma pesquisa que mostra que os congestionamentos surgem a partir de um limite dado pela densidade de carros em um trecho e que a explicação para a sua existência mesmo em situações ideais é que cada motorista dirigie em uma velocidade diferente.

Em um lugar onde as pessoas não são educadas e não ficam lerdando a probabilidade de um congestionamento é menor, claro. Aqui no Recife as pessoas são tanto mal educadas quanto lerdas.

DerrapouAnde rápido, não tanto! Lembre-se: no Brasil, segurança básica (ABS) é artigo de luxo.

A faixa de ultrapassagem aqui é a da direita. Mas até mesmo os motoristas de ônibus em horário de pico, estando com a frente livre e sabendo que vão ter que parar na próxima parada à 250 metros fazem questão de mudarem de faixa ou invadirem, independente de ter outro carro circulando nas proximidades.

Apesar dos judeus que vieram para cá terem fundado a cidade de Nova Iorque, aqui é a Hong-Kong brasileira. Pensando bem, considerando o trânsito apenas. Pois aqui está mais para Havana mesmo. . .

Pois bem, é intuitivo também que quanto mais faixas, menor a probabilidade de congestionamento. Porém o prefeito petralha e o vice-prefeito terrorista devem estar querendo que nós gastemos mais dinheiro ainda com combustível, para alimentar a Petrossauro.

A pouco, eles fizeram algumas mudanças no trânsito da cidade. Uma eu até achei perfeita. Detalhe: vai beneficiar mais quem anda de ônibus. Ruim? De hipótese alguma. Mas eu me sinto no direito de conspirar um pouco: a mudança foi tão inteligente pois o objetivo era fazer os mercantilistas lucrarem mais!

Agora vejamos. . .

Atualmente, só a avenida Conde da Boa Vista tem um movimento diário de 814 ônibus, totalizando 6.974 viagens e aproximadamente 483 mil passageiros transportados por dia.

Fonte: EMTU altera operação de ônibus na Avenida Conde da Boa Vista

Uma média de 70 pessoas por viagem de ônibus? Sabemos que em certos horários eles estão mais cheios do que em outros! Logo me parece que há algo errado. . . De quanto é a lotação máxima permitida por lei mesmo? 70, 75? Ou a eficiência do serviço do transporte coletivo está alta demais ou então. . .

E qual foi a idéia genial da prefeitura? Acabar com duas faixas da avenida (que tem dois sentidos: centro e surbúbio) para construir uma calçada gigante. E tirou as paradas de ônibus do lado da calçada (que em muitos lugares já era gigante) e construiu plataformas entre as faixas de ônibus e carros!

Agora há uma faixa exclusiva para carros, outra para ônibus em cada sentido. Nada mais. Sem contar que a largura da faixa para carros é tão curta quanto uma vaga em um edifício garagem. A de ônibus é um pouco maior, pelo menos.

Para piorar, no meio de algumas limitações temos que ônibus e microônibus que não pertencem ao Sistema de Transporte Metropolitano de Passageiros (leia-se: só sobra os ônibus dos mercantilistas e os ex-kombeiros que conseguiram algo criando um corrupto sindicato).

A saber, tanto ônibus quanto microônibus não podem usar a faixa exclusiva para transporte coletivo.

Oras, a idéia dessas faixas não é um método de agilizar o transporte das massas? Por que será que esses safados proibem? E isso não só nessa avenida, mas em todas.

É claro que o governo não quer isso, pois queimar Diesel é o que quer dos brasileiros. Mas com certeza prefere que queimem gasolina. Só querem quando possuem outros canalhas para trocarem favores.

Terrorista defende criação de nova Petrossauro

Se não bastasse termos a Petrossauro, a queridinha da Rede BoBo agora vamos nos lascar mais ainda. A Rede BoBo com certeza vai amar: mais uma estatal para propagandas governamentais inúteis que terminam com o famoso ‘Brasil, um país de tolos’.

O comunista terrorista Haroldo Lima, que participou da tentativa de transformar o Brasil em um país pior do que os incapazes dos militares conseguiram durante o período da ditadura militar, e hoje é presidente da ANP (Agência Nacional de Petróleo) decidiu que para o bem dos proletários seus companheiros que estão em busca de cargos no governo é necessário taxar mais ainda o combustível e uma alternativa é cobrar ainda mais royalties do petróleo (ele parece sonhar com 60%!), fazendo uma revolução (lembre-se: revolução é o ato de voltar ao passado) para voltar aos tempos monopólio do Estado na extração petrolífera!

Fonte: Entrevista da edição 2004 da Isto É.

Incompetência Militar

<a href="http://youtube.com/watch?v=YypLUBYsLxs">http://youtube.com/watch?v=YypLUBYsLxs</a>
Batalhas das Toninhas

Um novo — e mais apropriado? — significado para o termo inteligência militar.

Review da Canon EOS 450D (Rebel XSi)

Hoje o Digital Photography Review publicou fotos feitas com a próxima câmera dSLR a ser lançada pela Canon, a Canon EOS 450D. Seu lançamento ao mercado consumidor é no dia 27 de Abril desse ano para a América, mas já estão disponível para pré-venda em lojas como a Amazon.com.

Canon EOS XSi/450D Official Sample - Portrait FULL
Uma das amostras oficiais do que é ela é capaz.

Ela é a sucessora da poderosa dSLR entry-level Canon EOS 400D (Rebel XTi), também voltada ao mercado de consumidores que não pode arcar com um equipamento profissional, mas quer tê-lo. A 400D não deve sair da linha de produção logo, mas será encontrada por um preço mais acessível no mercado.

Planejo adquirir uma 450D nos próximos meses e o resultado das fotos divulgadas tanto pelo dpreview.com quanto pela Canon só me me deixou feliz :)

PS: cada original JPEG divulgado como sample image dela tem cerca de 8MB :)