Aviso / Notice

Este blog se encontra desatualizado, inativo e arquivado como conteúdo estático. Eu continuo a eventualmente postar em to-post.it/henriquev. Um serviço simples de blog para usuários de Twitter criado por mim. Todo o conteúdo deste blog continuará existente no mesmo endereço de antes.

This is blog is out-dated, inactive and archived. I continue to post eventually on to-post.it/henriquev. Using a simple blogging service for Twitter users that I created.

Estou também em / find me also on:

Archive for November, 2007



A carteira que desUNE

50º Congresso da UNE
O retrato na bandeira à direita é do terrorista Che Guevara, a UJS é aquela que costuma pixar muros lhe chamando para a revolução.

Me lembro de ter ido a alguns eventos culturais com meus pais quando criança e sempre ficava pensando em porquê diabos minha entrada era mais barata se eu ocupava um assento igüal a todo mundo…

Uma das primeiras resposta do meu pai foi dizer que era porque eu era criança, eu logo fui reacionariamente questioná-lo se lá isso era motivo. Eu tava ocupando um espaço, oras. Logo cedo, em uma idade que nem de carteira de estudante eu usaria, imaginei: deve ser porque como sou menor, logo mais leve do que um adulto, deve ser mais econômico para eles me acolherem, pois gastam menos em ar condicionado, o desgaste da cadeira do cinema é menor, a movimentação pelo teatro é mais rápida e atrapalha menos… Ainda que eu desconfiasse muit, pois o custo ser a metade até para estudantes (que constituia boa parte da audiência) me parecia ser um absurdo..

Ah, com certeza recebi uma resposta bem petralha do meu pai. Até hoje ele acha que os empresários devem gostar da meia entrada, porque é um benefício de pessoas com menor poder aquisitivo (leia-se: estudantes; usando o pensamento: estudante não tem família) irem ao cinema. Em um pensamento bem típico dos brasileiros, que acham que as pessoas são incapazes de cuidar de suas vidas sem intervenções estatais.

Pois, o que a carteira de estudante faz é justamente o oposto. O estudante passa a pagar algo talvez até relativamente maior do que pagaria se não existisse essa comunização do dinheiro alheio, o não-estudante se lasca, quase não indo ao cinema porque pagar R$16 para ver um filme é um absurdo, e assim vai.

E, para variar, a UNE coloca culpa no liberal (sic) do verme FHC o culpando de ter liberalizado quem pode emitir a carteira de estudante. Ou seja: ter tirado dela o monopólio da emissão da carteira de estudante, fazendo assim com que as fraudes aumentassem e mais mil e um lero-leros.

Engraçado que ela não explica como no Brasil os eventos culturais são tão mais caros do que no estrangeiro, mesmo em outras republiquetas latino-americanas.

Enquanto isso, se você decide fazer carteira de estudante você estará:

  • pagando luxos como jantares em restaurantes de luxo para os socialistas sem-vergonhas por trás da quadrilha
  • sustentando invasão de reitorias (dispensa fontes)
  • pagando as contas de uma viagem de baba-ovos do ditador Fidel Castro à sua grande ilha-prisão no Atlântico, onde também fica a Baía de Guantánamo que infelizmente não usa de sua base naval para libertar o povo cubano. Lá eles poderão desfrutar do melhor do comunismo no c. dos outros em magníficos resorts, além de aprender como melhor cuidar dos seus idiotas-úteis.
  • financiando treinamentos de guerrilha
  • compactuando com as FARC-EP
  • dando apoio financeiro para futuros cupins políticos
  • pagando mais uma parte do pequeno edifício de apenas 14 andares que a UNE irá construir, com a planta pelo verme Oscar Niemeyer e parte financiada – respire fundo! – pelo PAC se aproveitando ainda da maldita Petrobrás.
  • financiar congressos imbecis para drogados e abestalhados.
  • financiando gente que está torcendo para que a Venezuela – que faz fronteira com o Brasil – vire uma ditadura militar controlada pelo índio-ditador Hugo Chávez, que promete acabar com a evolução do povo venezuelano e fazer do país uma grande aldeia, dele um senhor-cacique.

Ao usar esse artificial “benefício” (à la mode de la maison da mamenha joana) o que acontece é que os preços – para todos – precisam ficar mais caros, pois não existe lanche gratis. E aí os outros vão pagar por você. Ou não… Há dois cenários possíveis, simplificando de um jeito que até um petralha mediano é capaz de aceitar:

  1. os outros deixam de irem a eventos com meia entrada, dado o alto custo
  2. os outros pagam por você

Ou seja, quando um peão de obra de uma construtora que ama um contrato estatal pensa em ir ao cinema ele pode estar financiando para que o petralha do filho do dono dela – que chegou lá de BMW depois de comprar um Blue Label lá na Casa dos Frios – assista por um custo “menor”. Ou ele pode está pagando a diferença para que o administrador do cinema tenha algum lucro, que com certeza é menor do que se só existisse uma entrada e se ambos – o peão e o petralha – pagassem o mesmo e esse mesmo fosse menos do que a meia entrada atual (nunca notou que as salas de cinema andam vazias?).

Outra conseqüência é que ao colocar essa porcaria de meia entrada há mais uma variável para considerar no cálculo de maximização de lucros: quantidade de estudantes do público alvo e as conseqüências caóticas da influência da meia-entrada tanto para os demais quanto para os pagantes da meia-entrada, onde o caos não é desejável. Para os pagantes pois o aumento também os atinge, já que o público potencial se torna menor, dado o aumento de preço. Fora isso ainda temos que há beneficiários da injustiça que iriam com algum pagante de entrada inteira, caso ele fosse e o aumento pode barrar o segundo de ir, logo o primeiro também fica em casa.

Enfim, há todo tipo de conseqüência negativa que você pode concluir que a carteira de estudante é a culpada, mas não há uma positiva.

Qual a próxima? Meio ticket aéreo? Ah, avião é coisa de burguês… E que tal meia mensalidade escolar? Afinal, todo estudante deve ter direito à meia meia, meio carro, meia-entrada (fica com a bunda pro lado de fora?)…

Carteira de Estudante é só mais uma das populistas invenções da ditadura tupiniquim… É roubo puro, pra burro e aplicado.

Ah, pra quem não sabem a UNE também adora levantar bandeiras para coisas nem um pouco ligadas à educação ou defesa de ditaduras. Coisas tão polêmicas quanto, coisas bizarras, enfim, tudo de ruim…

Enquanto isso certos imbecis são sustentados pelo Ministério da Cultura para – usando as palavras do autor do conteúdo a seguir – fazer filmes que ninguém quer ver, lançar albums que ninguém quer ouvir, etc. Além de facilitar o trabalho para que putos feito um certo fracassado escultor pernambucano cujo nome eu não tenho a menor idéia, nem me interessa, instale um sindicato de merda que foi capaz – a alguns poucos anos atrás – de obrigar que os novos edifícios recifenses fossem obrigados a ter em sua planta (necessariamente na parte frontal, se não me engano) uma obra de um renomado artísta regional miguxo. Renomado no caso se refere a alguém que recebeu passe-livre da infeliz coorporação-de-ofício. Fato álias que chegou a atrasar a entrega de algumas obras surpreendidas com a medida tupiniquim…

Mais

Vídeo sobre a Carteira de Estudante
Entrada sobre a Carteira de Estudante, pelo mesmo autor do vídeo acima, outro “reaça liberal de Orkut“.

Ah, mensagem para qualquer VERMElhinho que possa vir aqui: eu não uso meia-entrada, tá?

PS: se você é um promotor de eventos que faz vista grossa ao uso da carteira de estudante, que burla a legislação de alguma forma, muito obrigado! Espero que você continue com seu ótimo trabalho e nunca caia na armadilha desses panacas e salafrários. Se você já foi pego, meus pêsames.

Princípio da Não-Agressão

BackOffGovernment
Renfrew County, Ontario. Foto por Padraic.

Foi com uma frase bem mafiosa como

Ninguém tem o direito de intervir em um acordo entre duas partes que não prejudique uma terceira parte e que respeite o axioma da não-agressão. E se uma das partes descumprir o acordo a parte prejudicada tem o direito à vigança

mas menos elaborada que eu justifiquei a uns amigos que não deveria ser ilícito a venda de drogas, proibição álias que só alimenta o tráfico, dificulta o combate ao uso e inibe a livre concorrência, o que ajuda na manutenção de perigosos cartéis e organizações criminosas, além de prejudicar o consumidor final, o prejudicando quanto à qualidade e ao custo.

Não que eu recomende o uso irracional de drogas, assim como não recomendo o uso dessa baboseira sem noção chamada homeopatia. Mas não deve haver barreiras de entrada, tampouco criminalização desses mercados, perigosos até, mas mais perigosos ainda se não legalizados.

Também não acredito em taxação, como já falei: imposto é coisa de comunista. Não acredito também que um controle do governo sobre quanto alguém poderia consumir resolveria. Oras, se um cara vive dizendo que quer se matar, vamos mostrá-lo que isso seria uma merda, mas não vamos proibí-lo de se locomover durante o resto de sua vida alegando que estamos o protegendo, as conseqüências álias podem ser muito piores. Não podemos viver através de artifícios, apoiados em areia de praia…

Ingrata Gratificação de Natal

A existência da CLT é um absurdo por si só (ver entrada seguinte: Princípio da Não-Agressão). Então o que dizer da populista Gratificação de Natal? Coisa do mundo tupiniquim, claro.

Só em uma República de Bananas é capaz de surgir algo tão imbecil quanto o décimo terceiro salário. Qualquer criança sabe que não existe lanche gratis. Se ela quiser comer o confeito que um amiguinho levou para a aula vai ter que comprá-lo com um sorriso ou uma brincadeira, no mínimo. O mesmo vale mesmo em maiores proporções. No qual um sorriso não costuma ser suficiente, mas um relatório profissional ou trabalho braçal resolve. Logo, de onde surge o dinheiro do trabalho do décimo terceiro mês, se não temos um décimo terceiro mês? Dos meses que existem, oras. Mais valia se o empregador e o empregado tivessem liberdade suficiente para acertar o pagamento sem essa restrição anti-natural. Restrição que dificulta o bom gerenciamento das dívidas do empregado e atrapalha o gerenciamento dos custos do empregador, atrapalha a contratação de novos funcionários ao final de um ano. Enfim, uma afronta à liberdade da iniciativa privada. Se as partes decidem em um contrato sem agressão que é melhor o pagamento anual ser dividido de outra forma que não a tradicional doze parcelas, tudo bem. O que é inaceitável é obrigá-los a firmar o pagamento de um jeito ou de outro ao gosto de uma terceira parte.

Domesticated duck
Realmente, vivemos em um país de patos.

Direita ou esquerda? Não. Esquerdismo e atitudes anti-éticas.

Na verdade não existe essa de direita e esquerda. O que existe é falta de ética e o esquerdismo.

A falta de ética todo mundo sabe o que é.

Quanto ao esquerdismo… Podemos dizer que ele é uma doença mental altamente contagiosa, populista. O nome científco para o vetor dessa enfermidade seria Laevus levus ruber? Bem, o Esquerdismo atinge toda a humanidade. Alguns são mais afetados diretamente, outros menos. Imagino que todos são afetados pelo vírus letal VERMElhinho, se ele existir. Afinal, a doença é a relativização da ética.


UPDATE 2007-12-11T04:32:29+00:00
Desonestidade intelectual, por Rodrigo Constantino. Essa expressão resume tudo.

Imposto é coisa de comunista

O que dizer de um assaltante? É ético alguém tirar algo de alguém por que essa pessoa tem muito ou porque alguns acham que as pessoas têm o dever de contribuir com a sociedade como obrigação?

Não? Então como diabos pode o Estado ter o fictício direito de nos roubar? Ele não tem. Imposto nada mais é do que uma das formas mais usadas de se fazer comunismo, ou seja: de roubar. Tirar o que é de alguém à força, de forma anti-ética.

Impostos não respeitam o Princípio da Não Agressão, logo são injustos. Uma ação é ou não é justa em sua própria natureza, não são suas conseqüências que determinam a justiça.

Ah, mas coisa de comunista? Por quê? Porque defender imposto é defender o comunismo, pelo menos no que tange ao roubo do dinheiro alheio ou mesmo próprio.