Aviso / Notice

Este blog se encontra desatualizado, inativo e arquivado como conteúdo estático. Eu continuo a eventualmente postar em to-post.it/henriquev. Um serviço simples de blog para usuários de Twitter criado por mim. Todo o conteúdo deste blog continuará existente no mesmo endereço de antes.

This is blog is out-dated, inactive and archived. I continue to post eventually on to-post.it/henriquev. Using a simple blogging service for Twitter users that I created.

Estou também em / find me also on:

Tag Archive for 'Estado'



Bandidos invejosos vagabundos parasitas públicos destróem Garagem

Eu estou indo apressado para um médico hoje de tarde e com o que me deparo? O Bar Garagem ao chão, com algumas viaturas de canalhas por perto e o trânsito meio conturbado. Fico sem saber o que aconteceu, triste por lá ter sido um ótimo lugar para se divertir de madrugada, onde as pessoas se reuniam na volta de lugares como Recife Antigo ou boates da cidade…

Chego em casa, vou procurar saber o que houve. Pois é, os bandidos do Estado, comandados pelo sem-vergonha nazi-petista João da Costa decidiram dar um fim a esse estabelecimento e mais outros honestos estabelecimentos que vigiam à margem da criminalidade dos impostos e outras formas de roubo, sob a desculpa sem justificativa de que tais estabelecimentos estariam bloqueando acesso a uma rua.

Uma pena que isso não vai ser suficiente para que acabem os imbecis que defendem tal canalha, dizendo que o Estado é necessário para proteger a propriedade privada. Grande defesa, podemos ver…

Agora vários indivíduos honestos humildes perderam tudo o que tinham por causa de mais uma ganguezinha de merdas invejosos.

Na íntegra (com os nomes corretos devidamente colocados), vai uma matéria de um jornal local…
Famoso bar Garagem: destruído por bandidos
Justificativa da Gangue é um processo administrativo contra donos dos imóveis no bairro das Graças
Um processo administrativo da quadrilha estatal contra donos de imóveis provocou a destruição de cinco estabelecimentos localizados à beira da Ponte da Torre, no bairro das Graças. Foram destruídos o bar Garagem, uma lanchonete, uma tapeçaria, uma pequena fábrica de estofados e uma floricultura.
A ação foi executada por vagabundos da Dircon, ladrões da Guarda Municipal e da Ditadura Militar. De acordo com a Gangue do Recife, existia um processo administrativo aberto contra os donos dos imóveis deste 2006 porque as construções bloqueavam uma rua que existe na área.
A Quadrilha também informou que os estabelecimentos honestos não eram tão roubados para funcionar sem serem destruídos. Os injustiçados proprietários não esperavam a ação criminosa e disseram que aguardavam uma decisão dos Sequestradores sobre a situação dos imóveis. Eles pediam para não serem roubados – ou seja, queriam ter algum direito à posse da área por estarem no local há muito tempo.

Fonte: Bar Garagem e quatro imóveis vizinhos são demolidos pela Dircon

A crise em resumo

O post Esta tal crise do Sub-Prime em outro blog explica direitinho que diabos é essa crise em poucas palavras, até bebado pode entender.

Em tempo:

OFHEO’s mission is to promote housing and a strong national housing finance system by ensuring the safety and soundness of Fannie Mae (Federal National Mortgage Association) and Freddie Mac (Federal Home Loan Mortgage Corporation). OFHEO works to ensure the capital adequacy and financial safety and soundness of two housing government-sponsored enterprises (GSEs) — Fannie Mae and Freddie Mac. Fannie Mae and Freddie Mac are the nation’s largest housing finance institutions.

OFHEO’s Mission

Parece brincadeira, mas não é. A OFHEO é uma agência governamental e essa é a parte inicial sobre a missão da agência, segundo ela mesma. E onde está em negrito aqui também está em negrito lá, não foi de propósito. E ainda dizem que foi culpa do livre-mercado, ai ai… Aqui vai o recado para quem pensa assim: An Open Letter to my Friends on the Left.

E quem quiser entender mais pode ver The Bailout Reader ou meus posts Imprimindo dinheiro que não existe e O dólar valorizando durante crise imobiliária norte-americana?

É claro que comunista não gosta de tomar banho

23/09/08 - 21h02 - Atualizado em 23/09/08 - 21h07
Alfândega de Montenegro apreende toalhas de Madonna

Cantora viaja com mais de 300 peças confeccionadas por designers especialmente para ela

Madonna e sua equipe tiveram um pequeno probleminha na alfândega ao desembarcar em Montenegro. Oficiais que cuidam da fiscalização na fronteira apreenderam as 300 toalhas que foram confeccionadas especialmente para a cantora e seus dançarinos e que eles usam quando saem do palco, na turnê “Sticky & Sweet”.

De acordo com o site do jornal “The Sun”, os oficiais confiscaram o lote porque desconfiaram do grande número de toalhas que a equipe transportava.

O pessoal da alfândega nunca tinha visto aquele volume de toalhas para uso pessoal antes. As pessoas em Montenegro não estão acostumadas a gastar tanto com toalhas.

Madonna se apresenta num estádio na cidade de Budva nesta quarta-feira, 24.

O dólar valorizando durante crise imobiliária norte-americana?

Parece um contra-senso uma moeda de um país se valorizar quando ele entrar em crise.

Até ontem, quando publiquei o post anterior, não tinha pensado em possíveis explicações. Se você não o leu, recomendo que leia antes para compreender melhor a situação.

Pois bem, essa crise, assim como a de 1929, é causada não por falhas do mercado, e sim por intervenções estatais. E todo esse esforço que estão fazendo agora não vai gerar nada de positivo e sim uma nova bolha que vai estourar no futuro.

A principal loucura é justamente expandir o suprimento monetário através da inflação. Para piorar fazem isso tanto antes, quanto durante e depois da crise. Os keynesianos acreditam que inflação é uma solução para uma crise causada — segundo a crença — por falha do mercado, pasmem!

As soluções mágicas da seita keynesiana funcionam a qualquer momento, com uma resalva: só na teoria. E falha de mercado é um fenômeno tão real quanto o ET de Varginha: só os idiotas levam a sério.

Pois bem, mas se os Estados Unidos está em crise, como pode o dólar estar se valorizando em relação às outras moedas?
Está acontecendo uma corrida às compras: as pessoas querem fugir da inflação! Estão adquirindo mercadorias ou reservas reais, não falsas. Só que temos dois complicadores:

  • Lembra que falei que geralmente os países proibem que moedas de outros países sejam usadas em negócios dentro de seu território? Pois bem, vale para os EUA. E qual a economia mais forte, que movimenta mais negócios…?
  • Com certeza isso não se passa pela mente de muitos, mas saiba que muitas das estatais casas da moeda terceirizam suas reservas faz-de-conta e da pior forma possível: em US dólares! Ou seja: loucura total. Faz um lastro em cima de uma moeda fiduciária! O próprio ladrão não sabe reconhecer um furto ou, se reconhece, não dá importância. E em se tratando de dinheiro dos outros “mesmo” a segunda hipótese, para mim, é bem mais plausível.

— Certo, mas como “salvar o mundo” da crise criada pela inflação usando mais inflação ainda?
Não há uma só explicação da seita Keynesiana: ela é tão flexível quanto uma mola, basta seguir algumas premissas marxistas que são como os delimitadores da compressão e tensão máximas que uma mola pode alcançar sem ter a sua estrutura física deformada. Nesse caso, a estrutura não é física, mas biológica: a [in]sanidade.

Nessa crise os crentes da Igreja de Keynes estão fazendo o cúmulo de estatizar empresas falidas, até mesmo seguradoras!

Parecem só se esquecer que o grande causador da crise foi justamente um crédito imobiliário enorme de dinheiro que não existia saindo de duas grandes companhias do setor, com as graças da mão-santa do deus-Estado.

É dar cana para acabar com a bebedeira…

<a href="http://youtube.com/watch?v=fCEUz264XHw">http://youtube.com/watch?v=fCEUz264XHw</a>
Newstopia - Micallef on Inflation

Como diz o vídeo: se uma moeda é lastreada em outra e assim sucessivamente… Temos que no final ela não é lastreada em nada e — uma vez que não é lastreada em nada — ela não tem valor algum.

E os retardados keynesianos acham tudo isso muito normal.

Leia também: